NBR6118-2003, Projeto de estruturas de concreto armado - Procedimento

Em março de 2003, foi publicada a NBR6118:2003, Projeto de estruturas de concreto armado - Procedimento, para substituir a NBR6118:1980 - Projeto e execução de obras de concreto armado. Uma mudança que vinha sendo anunciada há anos e traz alterações significativas para a construção civil brasileira.

A nova NBR6118 concentrou seu espaço apenas em projeto, diferente da versão anterior, que reunia projeto, execução, controle e produção das estruturas e do concreto. Com isso, ela abre caminho para a necessidade da aplicação de outras normas existentes, que completam os demais conteúdos do escopo das estruturas de concreto:

NBR14931 - Execução de estruturas de concreto armado - Procedimento;
NBR12655 - Concreto - Preparo, controle e recebimento;
NBR7212 - Execução de concreto dosado em central.

O texto da nova norma introduziu novos conceitos ao projeto das estruturas como, por exemplo, o conceito de Classe de Agressividade Ambiental (CAA), que interfere na Classe do concreto e no cobrimento das armaduras. A nova NBR6118:2003 traz procedimentos que contribuem com a garantia da qualidade das estruturas de concreto, principalmente no que diz respeito à sua durabilidade.

A classificação do meio segundo a agressividade do ambiente está relacionada às ações físicas e químicas que atuam sobre as estruturas de concreto, independente das ações mecânicas, das variações volumétricas de origem térmica e outras previstas no dimensionamento das estruturas de concreto. A definição desta classe de agressividade ambiental é fundamental na concepção do projeto estrutural, pois influencia nos valores mínimos de resistências características que devem ser respeitados, no valor mínimo do cobrimento de armadura e na máxima abertura de fissura permitida.

Com o avanço tecnológico, os ganhos na resistência do concreto têm induzido a projetos de estruturas mais esbeltas, minimizando custos. No entanto, surge a necessidade de cuidados com uma nova gama de patologias, principalmente para estados limites de deformações excessivas. Este é um novo desafio da Engenharia no projeto de estruturas.